INIBIÇÃO DE MIOSTATINA

450

 

A MIOSTATINA INIBE O CRESCIMENTO MUSCULAR AO INIBIR O MTOR

POR Michael J. Rudolph

Em outra pesquisa recente, Trendelburn e outros8 mostraram que nas células musculares de humanos isoladas, a miostatina antagoniza o sinal de mTOR. Como resultado, diminui a síntese protéica e o tamanho dos músculos.

Isso revela uma forma adicional na qual a miostatina inibe o crescimento muscular. Em um estudo diferente, Kim e outros9 demonstraram que o receptor adrenérgico clembuterol, que previamente tinha mostrado melhorar o tamanho muscular via sinalização de mTOR10, funciona bem em combinação com a inibição de miostatina para estimular o crescimento e a força.

Neste estudo de Kim e outros, ratos normais e ratos com deficiência de miostatina foram alimentados com clembuterol.

Duas semanas depois foi realizada uma biopsia dos músculos dos animais que revelou um efeito aditivo na ativação do mTOR nos ratos com deficiência de miostatina que também foram alimentados com clembuterol.

Esses ratos tiveram um aumento de 25% na massa muscular. Os resultados desses estudos destacam a vital influência que a miostatina tem no crescimento muscular e revelam os efeitos negativos que tem no processo. Ainda que muito poderoso, não pode ser diminuído com compostos como o clembuterol.

steve kuclo

COMPOSTOS QUE IMITAM A INIBIÇÃO NATURAL DE MIOSTATINA DEVERIAM SER INCRIVELMENTE ANABÓLICOS

Como a miostatina tem um efeito tão impactante no tamanho e na força muscular, não é uma surpresa que sua atividade esteja regulada na célula dos músculos, permitindo o crescimento necessário.

Consequentemente, a miostatina está regulada dentro das células por moléculas adicionais de proteína que se enlaçam e evitam a atividade da miostatina.

O inibidor de miostatina mais proeminente é a folistatina. Quando os níveis de folistatina em ratos aumentam ocorre um maior aumento na massa muscular. Em uma pesquisa adicional de Cash e outros12 foi esclarecida a estrutura molecular de miostatina e folistatina. Essa informação mostra que a folistatina muda a forma da miostatina, inibindo sua capacidade de se unir a seu receptor natural, e inibindo o crescimento muscular.

Isso nos leva ao desenho de novos compostos que induzam à inatividade de miostatina melhorando o crescimento e a força muscular.

Concluindo, a miostatina parece ser um objetivo sensível que ao ser modificado produz um enorme crescimento e força musculares. A atividade de miostatina pode ser inibida com componentes conhecidos como a creatina.

Concebivelmente há mais compostos que promovem o crescimento muscular inibindo a influência negativa de miostatina e futuros estudos científicos deveriam revelá-los ou guiar-nos em seu desenho.

Subsequentemente, uma dieta suplementada com esses componentes, assim como creatina, produzirá um aumento de força e massa musculares que poderia fazer com que os esteróides anabólicos e outras drogas sejam coisa do passado, melhorando o físico do ser humano levando-o a algo que causaría admiração até do próprio Arnold.

branden ray

REFERÊNCIAS:

-Physiol Cell Physiol 2009; 296(6), C1258-1270. Kim KH, Kim YS, et al. Muscle Nerve 2010, 43(5), 700-707.

-Carter WJ, Dang AQ, et al. Metabolism 1991; 40(8), 855-860.

-Lee SJ and McPherron AC. Proc Natl Acad Sci USA 2001; 98(16), 9306-9311.

-Cash JN, Angerman EB, et al. J Biol Chem. E-pub, ahead of print.