MARK ANTHONY, CAIR E SE LEVANTAR

  • Por: MD Latino
  • March 27, 2015
  • 0 Comentarios
MARK ANTHONY, CAIR E SE LEVANTAR

mark anthony

POR Sharky Gómez, foto de LHGFX

 

Sharky Gomez: Mark Anthony, você tem um nome romano muito famoso!

 

Mark Anthony: A minhas raízes são de Trindade e Tobago.

 

Sharky: O fisiculturismo é muito importante no Caribe.

 

MA: É sim, tenho muitos fãs lá.

 

Sharky: Que idade você tem?

 

MA: O suficiente para ser o primeiro atleta “Men´s Physique” a se classificar para o Mr. Olympia.

 

Sharky: Estatura e peso?

 

MA: Estatura 1,77 m. Peso de competição 84 kg – e fora de temporada 90 kg.

 

Sharky: Como você compara seu físico com o de um fisiculturista?

 

MA: Já fui fisiculturista, meu corpo não tinha tanta massa ou espessura, mas sim a simetria, condição e muscularidade que se encaixa com o criterio do Men´s Physique. Então decidi entrar nessa categoria. Essa divisão não é moleza, todos os atletas Physique são profissionais e amadores que treinam tão arduamente quanto qualquer fisiculturista hardcore.

 

mark anthony2 MARK ANTHONY, CAIR E SE LEVANTAR

 

Sharky: Mas vocês são fisiculturistas, não são?

 

MA: Somos sim, mas de uma forma diferente, em métodos de treino e manipulação da dieta para conquistar o visual perfeito, o look apropriado para Men´s Physique. Tem uma clara distinção entre os atletas de fisiculturismo tradicionais e os de Physique, e a IFBB deixa isso muito claro. Para ter mais informações sobre a mina divisão, poses e cronograma de eventos, podem visitar npcnewsonline. com. Os atletas de Physique têm poses na apresentação no palco, mas um aspecto importante em nossa divisão é que você deve ser original quando mostra seu físico, é como um artista mostrando sua força.

 

Sharky: Por que decidiu se dedicar ao fisiculturismo?

 

MA: Meu pai era ciclista, sempre fazia exercícios, treinava, e como qualquer filho sempre quis ser como meu pai. Ele competia e amava os esportes, a competitividade corria nas minhas veias. Quanto tinha 8 ou 9 anos me dei conta de que meu pai tinha revistas de treinamentos e musculação pela casa, isso me ajudou a conhecer a cultura do fisiculturismo e aptidão física. Essas revistas me deram uma impressão positiva do esporte, via os atletas como “guerreiros”. Sempre posava e gostava de mostrar meus músculos nas fotos familiares. rsrsrs!

 

CRONOGRAMA DE TREINO

 

Domingo — pernas, abdominais, panturrilhas

Segunda — peito e tríceps

Terça — costas e bíceps

Quarta — livre

Quinta — ombros e panturrilhas

Sexta — peito, tendões, abdominais

Sábado — costas, braços

 

mark anthony5 MARK ANTHONY, CAIR E SE LEVANTAR

 

Sharky: Conte-nos sobre sua curta, mas muito ativa carreira

 

MA: Minha primeira competição foi em 2004 como fisiculturista peso médio. Esse foi um dos melhores días da minha vida, fiquei apaixonado pelo esporte. Fiquei em quinto lugar, estava feliz. Nessa época trabalhava como personal trainer, ia para a a academia, fui conquistando meus objetivos e ajudando meus clientes a conquistarem os seus. E isso me dava muita satisfação.

 

Meu primeiro Arnold Amador foi em 2011. Queria conquistar um troféu, era o único americano se apresentando, e consegui. Mas foi a mina última competição como fisiculturista. Depois participei em meu primeiro evento na Divisão Físico na Califórnia com John Lyndsay, fiquei em quinto lugar, pois era muito maior que os outros na categoria, um erro de novato.

 

A artir dali… fiquei apaixonado, achei meu nicho e sabia que poderia fazê-lo muito bem. Tive muito apoio de meu amigo e mentor, o quatro vezes Mr. Olympia, Jay Cutler, que sempre acreditou em mim e no papel que teria nessa divisão. Em abril desse ano participei no NPC Jay Culter Dessert Classic, obtive o segundo lugar. Nesse momento, já tinha meu próprio estilo, caráter único, tinha conseguido meu carisma.

 

Em julho, no Campeonato da Califórnia, obtive a segunda classificação e continuei competindo para que todos me conhecessem. Acho que tudo isso se trata de construir uma marca pessoal. Lição número 1: Faça com que eles se lembrem como você os fez sentir na competição. É muito mais que ganhar um prêmio, quero que me lembrem no palco. Invisto dinheiro do meu bolso para ir a essa competições para competir e fazer contatos.

 

Depois no Norte americano em Cleveland em 2011 eu me torneiprofissional. Cheguei à competição com uma única convicção: sabia que o premio seria meu! Ganhei na minha categoría e recebi o status de IFBB Pro. No ano seguinte, 2012, competi no mesmo lugar onde fiz a minha estréia, mas agora como pro da IFBB, o Gran Prix da Califórnia. Foi muito importante estrear ali como Pro, no mesmo lugar onde comecei a minha carreira amadora, e ganhei! Três semanas mais tarde, ganhei o Pro Show de Orlando. Nesse mesmo ano, tive um dos momentos no qual sinto mais orgulho, ganhei o prestigioso Pro de Nova Iorque. Obtive três vitórias seguidas, um luxo!

 

Em 2013, sentia muita pressão para continuar ganhando, mas meus resultados falam por si só. Muita gente esperava minha ascensão e logo a queda. Quis defender meu título no Gran Prix LA em 2013, mas obtive um decepcionante quinto lugar… a maldição da quinta posição.

 

Sharky: A indústria é uma loucura, muitos atletas pensam que o Mr. Olympia Physique está em jogo. Mark Anthony é “vencível”, o que você acha que pode acontecer?

 

MA: Os críticos dizem que “Mark Anthony melhorou muito sua forma do ano passado”, mas nesse evento (Gran Prix LA) “Mark esteve fatal”. Ainda assim estou muito satisfeito porque tenho uma grande quantidade de fãs leais na Califórnia. Acho que represento uma mudança no rosto da etnia latina emergente e muitos fãs se identificam com isso.

 

Meu pai é metade chinês, minha mãe é de Trindade, nativa da ilha. Estou pronto para construir a minha marca no estrangeiro.

 

Sharky: Acho que você deixou os céticos dormindo na competição de Pittsburgh em maio.

 

MA: George Farah é meu treinador, depois da competição na Califórnia fizemos alguns ajustes. Fui a Pittsburgh pronto para me reinventar. Essa competição foi muito importante para mim porque foi apresentado pelo presidente da IFBB, Jim Manion, em Pittsburgh, lar da IFBB e da NPC.

 

Também queria me apresentar frente a meus amigos, as pessoas que chamo de família. Foi uma vitória muito especial, foi uma mensagem para todos “Mark Anthony voltou”- Foi um plano de Deus. Todos caímos e nos levantamos, e a aqueles que duvidavam lhes digo “obrigado”.

 

mark anthony3 MARK ANTHONY, CAIR E SE LEVANTAR

 

Sharky: Algunas palavras de motivação para os leitores da MD Latino?

 

MA: Incentivo a todos os levantadores a que sempre tenham o desejo de melhorar, sejam perseverantes, façam tudo com paixão, sem medo e não se rendam.

 

Sharky: Você gostaria de agradecer alguém em especial?

 

MA: Sim, a meu mentor o grande Jay Cutler, meu treinador George Farah, meu irmão Jason. Minha família, amigos, Yurelis Gonzalez, Jim Manion, J.M Manion, meu manager, Steve Weinberger, Jon Lyndsay, à família da MD Latino e MD Brasil, meus patrocinadores ALLMAX NUTRITION, Dcore, Eat to Trow, a liga pro NCP e todas as pessoas que me ajudam com meu progresso.

Comentarios: